Empreendedora da semana – 09/ago/13

Sou a Beth Bressanin, casada, com um filho, 32 anos, geminiana, sonhadora, comunicativa e empreendedora. Tudo começou quando, em julho 2004 quando fui despedida da empresa multinacional que eu trabalhava como estagiária há um ano e meio ao comunicar que estava com quatro meses de gravidez. Como era estagiária, não tive benefícios nenhum por ser demitida.

Faltava o último ano para me formar em Administração pela Universidade Bandeirantes e estava  grávida e sem emprego. Desisti da faculdade, pois não tinha mais condição de pagar, pois era através do estágio que honrava as mensalidades.

Ganhei meu bebê no dia 28/12/2004, um lindo menino Rafael Henrique, uma criança adorável que nunca me deu problema. Não chorava, não tinha cólicas e dormia como um anjo. Mas mesmo com a maior benção da minha vida, eu precisava trabalhar para ajudar nas despesas da casa. Apenas meu marido trabalhava e o que ele ganhava dava para sustentar a casa e nada mais. Foi quando pensei:  “preciso fazer algo”, mas como sempre vivemos longe da família e não tínhamos  com quem deixar meu filho e sem terminar a faculdade, seria mais difícil de arrumar um emprego. Foi quando assistindo um canal de TV que vendia um curso que ensinava a fazer bijouterias me interessei, mas não tínhamos condições de comprar esse curso. Eu ficava observando a propaganda na TV e falei pra mim mesma,  “eu sou capaz de fazer isso”. Lembro como se fosse hoje, meu marido ganhava exatamente para pagar as contas, eu precisava de 50,00 para comprar alguns materiais para começar a fazer bijuterias. Não tínhamos, então fui até minha mãe e pedi emprestado os 50,00 reais, fui a uma loja comprei alicates, miçangas e fechos e uma revista com o passo a passo. Mas como sempre fui autodidata, via as peças nas vitrines dos shoppings e na internet e fazia, conseguia as reproduzir facilmente.

 Lembro que isso aconteceu em fevereiro de 2005, fazia as peças que na época eram bem simples de miçangas e assim que terminava, pegava meu filho Rafael no colo e aos finais de semana ia aos salões de beleza oferecendo as peças, ia a todos os salões do centro de Mogi das Cruzes SP com o Rafael no colo, e incrivelmente eu vendia quase tudo que levava. Com o dinheiro que conseguia com as vendas da bijuteria, eu comprava mais e mais peças para montar. Com seis meses já vendia para alguns salões de cabeleireiro e coloquei algumas peças em consignação em um Salão de Beleza, com o qual eu fazia o acerto a cada mês dando 30% de comissão para a dona do estabelecimento. Em menos de um ano já trabalhava com cristais verdadeiros e peças bem mais elaboradas,sem fazer nenhum curso.

 Em 2006 meu marido foi transferido para São José dos Campos e lá continue da mesma forma, começando novamente a procurar clientes, saia para vender sempre com meu filhote no colo, pois ainda era bem pequenino, depois de São José Campos, fomos para Sorocaba e de lá meu marido se desligou da empresa, fomos embora para Ourinhos aonde tínhamos parentes que se precisassem nos ajudaria. Depois de seis meses meu marido ainda não tinha conseguido a recolocação no mercado de trabalho e eu tinha assumido a casa com a venda das bijuterias. Nunca fui controlada, sempre gastava muito quando ia fazer a compra das peças para montagem e quando voltava tinha que correr igual ua doida para vender, pois precisava cobrir a conta o mais rápido possível. Como meu marido não conseguia recolocação, resolvemos abrir em 2008 uma microempresa a Doce House que era uma lan house e bomboniere, tivemos sucesso e estamos felizes, trabalhava no comércio e continuava com a criação, produção e vendas das peças, até que uma empresa de Mato Grosso em 2009 veio até ele e ele aceitou o novo desafio. Nesta transição eu parei de fazer bijouterias e nos mudamos para Cuiabá, fiquei desde janeiro de 2009 a fevereiro de 2012 sem mexer com bijuterias, pois sentia dificuldades em sair para vender, porque eu estava obesa, pesando uns 120 quilos (pois engordei 40 quilos na gravidez e que não consegui eliminar com o nascimento do meu bebê) e não tinha animo para sair vender a pé por ser uma cidade muito quente. Nesse período fique sem mexer com bijuterias e fiz redução de estômago em setembro de 2010, com a recuperação e com o passar do tempo fui me reencontrando novamente e em fevereiro de 2012 voltei a fazer bijuterias. A aceitação foi tão grande que hoje minhas vendas são feitas apenas pela internet e mando para o Brasil todo via correios e às vezes mando para fora do Brasil, hoje trabalho exclusivamente com as vendas na internet pelo minha página no facebook (www.facebook.com/bethbressanin.umestilo).

 Em março de 2013 nos mudamos de Cuiabá MT, para São Paulo capital, devido a uma nova proposta que meu marido recebeu, por isso estou mantendo apenas a loja virtual, pois com tantas mudanças se fizer uma loja física corro o risco de ter que fechá-la da noite pro dia, devido a tantas mudanças.

Sou uma empresária individual, que busco meu espaço no mercado sempre inovando e usando as melhores mercadorias para criar peças únicas e exclusivas para minhas clientes.  Preciso confessar que minha maior dificuldade nesses anos é sempre ter que começar e recomeçar, pois com tantas mudanças acabava perdendo os vínculos que criava nas cidades que passava. Hoje, graças a internet, consigo manter o vínculo com todas as cidades e clientes e ainda posso expandir mais ainda meus negócios através do network que  a internet me promove.

 Uma segunda dificuldade foi a financeira, pois sempre fui descontrolada, gastava demais em mercadorias e sempre entrava no vermelho. No tempo que fiquei sem produzir bijouterias fui vendo minhas limitações como empreendedora e fui estudando meus pontos fracos e aprendendo com os erros que tive e quando voltei a fazer bijuterias só comprova a mercadoria a vista, sem passar o orçamento que tinha disponível.  O que eu criava e vendia, guardava para investir novamente em mercadorias, e assim estou conseguindo um resultado realmente melhor e mais satisfatório. Faz um ano e sete meses que realmente estou conseguindo ter lucro e investir com consciência na minha empresa.

 Ainda estou no começo da minha empresa, meu sonho e o que busco é conseguir ter minha loja física e num futuro ter franquias das lojas Beth Bressanin Um Estilo, uma loja que deseja realizar os sonhos das mulheres de se produzir com acessórios únicos, cheios de estilos, personalidade e elegância.

 Empreendimento de Beth: um local onde você encontrará peças exclusivas, modernas e únicas…
Facebook:
https://www.facebook.com/bethbressanin.umestilo

 Ping-pong com Beth:

 Antes de ser empreendedora eu era: uma mulher a busca de uma profissão.

Agora eu sou: uma mulher mais feliz, mais centrada e me realizando.

Ser empreendedora é uma necessidade ou uma escolha? Uma escolha e pra mim uma das melhores.

Horas de trabalho por dia: 8 horas em média

Acha que tem futuro? Sim, meu futuro é longo e promissor.

Como procura inovar no seu negócio? Com muita criatividade e sempre antenada no que está na moda, com atendimento diferenciado e personalizado.

Fim de semana pra você é sinônimo de…Diversão com meus amores que são meu marido e meu filho, além dos familiares e amigos.

Pessoa que te inspira a continuar:  Meu marido Raulino Costa de Jesus Filho  e meu filho Rafael Henrique Bressanin Ramos de Jesus

Fica louca com: Inveja e falta de profissionalismo.

Maior sonho: ser uma grande franquia.

Uma dica: Manter-se humilde, ser persistente e recomece quantas vezes for necessário.

Uma frase:Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol.” – Pablo Picasso

Beth por Beth: Dedicada, determinada, muito motivada e sempre com um belo sorriso no rosto.

 

s;