foto mulher />

Universidade Corporativa para Mulheres

Por Leiza Oliveira, CEO e diretora educacional da rede Minds Idiomas

 

É fato que ainda temos uma discrepância entre o valor pago pelo trabalho prestado por mulheres e homens que ocupam o mesmo cargo ou têm a mesma formação acadêmica e profissional. Constatar essa realidade não a altera. Como gestora educacional sempre refleti como poderia diminuir as diferenças de gênero praticada em empresas. Quando fundei a Minds Idiomas, em 2007, enfrentei resistência por ser mulher empreendedora, e não ter tanto capital exigido no início de um negócio.

 

Venci as batalhas desse preconceito e hoje tenho mais de 70 escolas de inglês. Nas unidades temos mais de 500 colaboradoras, entre professoras, gestoras e a equipe do marketing. Para incentivar a gestão escolar entre mulheres, a Minds desenvolveu a universidade corporativa que consiste no treinamento delas para exercerem melhor a função, instigar o empoderamento feminino e acima de tudo as valorizar como profissional.

 

Os cursos da Universidade Corporativa acontecem de forma online e presencial. Além desse Centro de Estudos temos o cuidado de destinar 50% das vagas das escolas para mulheres. É perceptível que quando temos o público feminino na gerência, as franquias conseguem uma lucratividade superior e sinérgica com a rede franqueadora.

 

Uma das premissas adotadas pela Minds para tornar o ambiente igualitário é a liberação do vestuário, ou seja, todos funcionários podem se vestir como desejar. O importante é praticar a igualdade no ambiente educacional, acolher os alunos e debater nas salas de aulas, sempre em inglês, a importância da igualdade de gêneros.

 

É aquele velho ditado: A criança pode ser o que quiser quando crescer. Isso independente do sexo, classe social ou cor da pele. Se todas as instituições de ensino incentivarem a equiparação salarial, respeito mútuo e a diversidade, formaremos alunos(as) melhores em qualquer parte do mundo.

 

Leiza Oliveira é idealizadora da rede Minds Idiomas

s;